quinta-feira, 14 de junho de 2012

Cem Anos da Crise da Borracha na Amazônia é tema da abertura do VI ENAM


A cerimônia de abertura do VI Encontro de Entidades de Economistas da Região Norte (ENAM), promovido pelo Conselho Regional de Economia do Estado do Pará (CORECON-PA), em parceria com o Conselho Federal de Economia (COFECON) e com os Conselhos Regionais do Norte reuniu mais de 200 profissionais da área de economia, servidores e gestores públicos, empresários, acadêmicos e membros da sociedade em geral, que acompanharam debates de temas voltados ao Centenário da Crise da Borracha na Amazônia. 
A mesa de honra do VI ENAM, instalada oficialmente no auditório do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PA) contou com a presença do Presidente do CORECON-PA, o economista Antônio Ximenes Barros; do Presidente do TRT-PA, o Desembargador José Maria Quadros de Alencar; do Presidente do COFECON, o economista Hermes Tadeu Zapelini; do Diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntura do IDESP, o economista Cassiano Figueiredo Ribeiro; do Diretor Administrativo do Sindicato dos Economistas do Estado do Pará, que também representou a Federação Nacional dos Economistas, o economista Hélio Santana Mairata Gomes; do Deputado Federal, Arnaldo Jordy; do Representante da Academia Paraense de Letras, Alcir de Souza Meira e do Representante da Câmara dos Diretores Lojistas de Belém, da Federação das Câmaras de Diretores Lojistas do Pará  e da Federação das Indústrias do Estado do Pará, José do Egypto Soares Filho.
O evento alusivo aos Cem Anos da Crise da Borracha na Amazônia foi aberto com o discurso do Presidente do CORECON-PA, Antônio Ximenes, que agradeceu à Comissão Organizadora e os patrocinadores que ajudaram na realização do evento e fez ainda, um breve retrospecto do centenário da borracha na Amazônia. “É pela experiência vivida e aqui prospectada que nós amazônidas devemos refletir sobre as oportunidades perdidas que podiam ter incluído a Amazônia no cenário desenvolvido da federação brasileira, mas só refletir não é o bastante. Precisamos nos esforçar para fazer um prospecto considerando a realização de ações que não nos permitam a cometer os mesmos erros das gerações que ignoraram as oportunidades dos seus tempos. Agora a responsabilidade é nossa, não temos o direito de deixar como herança para as próximas gerações o mesmo histórico que recebemos dos nossos antepassados”, destacou.
A noite foi marcada pelo Lançamento do Congresso Brasileiro de Economia (CBE-2013), apresentado pelo Presidente da Comissão Organizadora do evento, o economista Erivaldo Lopes do Vale. Durante sua apresentação, ele convidou todos os participantes do VI ENAM para se fazerem também presentes do XX CBE, que terá como tema “Economia Verde, Desenvolvimento e Mudanças Econômicas Globais” e será realizado nos dias 05, 06 e 07 de setembro, na cidade de Manaus.
O evento contou ainda com a participação do renomado Prof. Dr. da Universidade Federal do Pará (UFPA) e Fundador do Núcleo de Altos Estudos da Amazônia (NAEA/UFPA), Armando Dias Mendes, que proferiu a Conferência Magna: “1912 – 2012 Cem Anos da Crise da Borracha na Amazônia: Do Retrospecto ao Prospecto”. Durante o seu discurso, o professor relacionou a problemática da Amazônia com diversos clássicos da literatura brasileira e chamou a atenção para a forma como a região vem sendo atingida.  
Armando Mendes também fez um breve retrospecto da Constituição “Cidadã” de 1988 e de como a mesma foi distorcida em seus aspectos fundamentais. Ainda de acordo com ele, a Constituição hoje é contraditória, pois uma série de legislações complementares foi responsável por construir um modelo federativo que reforça as desigualdades regionais. 
O VI ENAM teve como objetivo debater temas voltados aos Cem Anos da Crise da Borracha na Amazônia, além de fomentar ações conjuntas de desenvolvimento para a região e relembrar esse importante fato histórico da economia brasileira para a Amazônia e para o Brasil.
O evento contou também com a participação dos Conselheiros do CORECON-PA, os economistasCassiano Ribeiro, Erick Dias, João Olinto, João Tertuliano, Lúcia Bahia, Nélio Bordalo e Pablo Reis e do Professor da UFPA e Ex-Presidente do CORECON-PA, o economista Eduardo Costa.

Fonte: Assessoria de comunicação do CORECON-PA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário